O príncipe sem sonhos

Thiago era um príncipe sem sonhos. Ele ganhava tudo dos pais. E, se já tinha tudo, com o que poderia sonhar? Às vezes, ele até tentava, mas nem dava tempo. Mal o príncipe começava a sonhar, e pronto: os seus desejos se realizavam. Ilustrações: Mariana Massarani Editora Brinque-Book Ano: 1999 Ouça aqui um trecho do…

A fada afilhada

Beatriz era uma fada madrinha que passava o dia inteiro cuidando de todo mundo, e todo mundo gritava para ser cuidado pela Beatriz. Tinha príncipe que não sabia Matemática, princesa que se achava feia, rei nervoso de tanto ouvir reclamação da rainha, caçador de dragões com medo do escuro. O telefone celular da fada não…

De filho para pai

– Pai, vamos olhar a Lua até gastar? – o filho sugeriu uma vez. – Olhar a Lua até gastar? O menino respondeu que sim, assombrado com o espanto do pai. O pai trabalhava muito, viajava um bocado, tinha coisas bem mais urgentes para fazer do que olhar a Lua até gastar. Mas, para aqueles…

Minha princesa africana

O nome dela era Marinela. Ninguém acreditava que eu namorava uma princesa. Algumas pessoas nem sabiam que existia princesa na África. Mas a minha era de lá mesmo, de Angola. A Marinela era branquela e tinha mais sardas do que o céu de Luanda. Na realidade, só tínhamos nos visto uma vez na vida e…

A professora encantadora

Maísa era uma professora que olhava para tudo com olho de assombro e estranheza. Ela dizia que assombro é um susto cheio de beleza e que estranheza é o casamento do estranho com a surpresa. As aulas da Maísa eram mesmo assombrosas, estranhas e surpreendentes. Na escola, ela se derretia de amor pelas palavras, pelas…

Da minha praia até o Japão

Quando eu era menino, o meu pai cavava um buraco maior que a praia, para a gente caber dentro de chegar até o Japão. As pessoas me diziam que o Japão ficava do outro lado do mundo. E eu queria muito ver o mundo de lado. Cavar para chegar lá era tudo o que eu…

Valentina

Valentina morava num castelo, logo depois do mais longe de tudo. Só quem chegava perto dela é que via que a princesa tinha orelha de abano para escutar cochicho de nuvem e perna comprida para pular pensamento. O riso da Valentina esparramava pelo rosto que nem gato espreguiçado. E ela tinha uns óculos espichados, que…

O menino da chuva no cabelo

Ser jogador de futebol era o que Arthur mais queria. Era só tentar que ele chegaria lá. Mas Arthur não tinha tempo para tentar nada. Arthur só tinha tempo para brincar. Porque os pais dele escondiam os relógios dentro da casa castanha. E Arthur nunca pensava no tempo. Só quando chovia.

A princesa Tiana e o sapo Gazé

Tiana passava o dia inquieta e não conseguia dormir direito, com um sonho roncando na barriga, faminta de magia. Um dia ela conheceu Gazé, um sapo que se gabava com os amigos de fazer as lagartixas subirem pelas paredes. Gazé achava que Tiana seria só mais uma conquista, até descobrir que tinha a tal fome…