Como lidar com a própria beleza?

“Márcio,

Cresci ouvindo as pessoas me dizerem que sou linda e encantadora. Até hoje, aos 31 anos, é o que eu mais escuto. Porém, nunca me senti à altura dessa beleza nem desse encantamento que todo mundo vê no meu rosto, no meu corpo e no meu jeito de ser, e que nem sei se tenho mesmo. Será que sou visível para os outros, mas não consigo me enxergar? Vivo me cobrando e me exigindo o tempo todo, como se tivesse sempre que provar ao mundo que tenho tanto valor quanto a minha suposta beleza. Sei que vivemos numa sociedade altamente competitiva, não há como evitar isso. Entretanto, me diga, Márcio, o que eu faço para viver com encantamento, sem tanta pressão? É o que eu busco. A antologia de frases do Mario Quintana, Para viver com poesia, que tu selecionastes e organizastes com tanta magia, é o livro que está sempre no topo da minha cabeceira, e o presente que mais tenho dado em aniversários. Porém, não consigo sair do papel para a prática. Imagino que recebas toneladas de perguntas todos os dias e também que tenhas questões muito mais importantes para tratar, mas ficarei imensamente feliz se puderes me responder.”
– Ana Sílvia Krishman, professora, Porto Alegre, RS.

Ana Sílvia,

Por que você imagina que a sua questão não seja tão importante quanto as questões das outras pessoas? Todas as suas questões são essenciais, porque elas vêm de você: das suas faltas, dos seus excessos, das suas dúvidas, dos seus vazios, das suas ambiguidades, da sua forma de agir, de pensar e de sentir. Aliás, você me diz que nunca se sentiu à altura da beleza e do encantamento que o mundo vê no seu corpo, no seu rosto, no seu jeito de ser. Mas qual é a altura perfeita do encantamento, se é que ela existe? Será que a gente passa a vida medindo a beleza, ou é a beleza que tem fita métrica para medir a gente? Ah, que tal você parar de tentar se sentir à altura disso ou daquilo, e se agachar um pouco para tirar vertigem da ideia, fazer um rabo-de-cavalo só para despenteá-lo, conviver menos com gente que comenta sempre o seu visual e mais com quem faz você rir das suas olheiras? Você também me diz que vivemos numa sociedade competitiva e não há como evitar isso. Por que você acha tão inevitável competir? Com quem será que você está mais competindo? Com os outros, ou com você mesma? Olha só quantas perguntas… Quer uma sugestão? No próximo par ou ímpar que fizer com alguém, escolha ímpar. Esqueça todos os pares, só um pouco, seja ímpar, e depois pare de se cobrar tanto, pelo menos hoje. Não se cobre nem de ter que parar de se cobrar. Você deseja viver com encantamento, sem tanta pressão? As pressões mais fortes não vêm de fora, vem de dentro, Ana Silvia. Assim, pare de se pressionar com tanta intensidade, tire a roupa apertada dos seus pensamentos, assuma a sua lindeza que todo mundo vê, descubra belezas inéditas em você mesma, e respire, respire, respire.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s